Quem sou eu

Oi meu nome é Marina Haddad, desde muito pequena sou apaixonada por esportes, danças, já fui bailarina, lutadora e fisioculturita.
Ser atleta de fisioculturismo é algo mais complexo do que muitas pessoas possam imaginar,
Quando decidi largar a carreira de bailarina para a de fisioculturista, fiz dois anos de preparo intenso, uma dieta extremamente regrada com horários extremamente regrados, tudo isso associado aos treinos. Essa rotina fez com que eu tivesse que abrir mão de toda minha vida social, além de ter perdido o contato com muitos amigos, no começo não foi fácil mais fui me adaptando, como o objetivo maior era competir, não haviam datas comemorativas se estivesse em pré competição, também não haviam dias para “ não treinar” nem mesmo se estivesse doente ou triste, para alcançar o objetivo criei várias estratégias mentais para driblar a dor a fome e o cansaço. Todos os dias eu pensava nos resultados que poderia obter diante dos meus esforços e nem nos piores dias queria desistir, sempre tive certeza que tudo isso valeria a pena.
A cada dia tinha certeza do meu potencial , mas mesmo assim tiveram alguns dias em que chorei de cansaço e fome, porém nunca desisti, treinava de 2 a três vezes ao dia nunca me alimentava da maneira incorreta muitas pessoas não entendiam o porquê de fazer tudo isso,mas sempre fui uma pessoa dedicada aos esportes e competitiva, competir significava para mim não só ganhar um troféu mas um dia poder falar para várias pessoas o quão enriquecedora é a experiência de superar seus próprios limites e de vislumbrar um futuro em tudo aquilo, algo que muitas pessoas não poderiam imaginar, além de tudo isso o custo de uma competição é muito alto e 95% dele saia do meu bolso, financeiramente também tive que fazer algumas escolhas, ter isso ou aquilo, pagar essa ou aquela conta, por que eu sempre tive certeza de que conseguiria alcançar meus sonhos e ajudar as pessoas a conquistarem os sonhos delas também.
Com toda essa experiência pude perceber que o verdadeiro desejo de vencer tem que partir de você mesmo, você deve ser o primeiro a acreditar no seu potencial ter certeza que é capaz de vencer e o quanto tudo isso tem o poder de mudar sua auto-estima e o quanto ela está ligada a todos os aspectos da sua vida: social, profissional, mental, emocional.
Para começar uma mudança precisamos nos conscientizar de quem somos e como nossa mente e corpo estão conectados para realizar essa mudança interna.
Te convido a conhecer o Missão Mulher.