Você está se auto sabotando?

Quantas vezes você já se pegou com planos de iniciar algo e simplesmente, deixou para depois?Em quantas áreas da sua vida isso já aconteceu? E com que frequência isso ocorre para você?
Isso é a auto sabotagem, acreditamos que diferentes aspectos de nossas vidas não estão interligados, mas você já pensou o quanto estar segura de sí mesma, feliz, motivada impacta na sua vida como um todo?
Conhecemos pessoas que iniciam por exemplo um processo de emagrecimento; começam a academia e de repente largam com a desculpa que estão sem tempo, iniciam uma reeducação alimentar mas, comem de tudo no final de semana, conseguem um bom emprego mas, não se acham verdadeiramente capazes de estar naquele cargo, entram sempre em um relacionamento com pessoas indisponíveis.
Esse comportamento está ligado sentimentos de insegurança, como o medo do sucesso, medo do fracasso.
Comportamentos de auto sabotagem:
Auto depreciação- em diferentes aspectos da vida
Necessidade de reafirmação de outras pessoas
Sempre inventar desculpas para dar o próximo passo
Medo de se sentir segura e feliz
Você se identificou com alguns desses sintomas? Fique atenta no programa missão mulher onde vamos te ajudar a descobrir que sentir é ser.

Seu cérebro e atividade física

Existe uma linha muito tênue entre cuidar-se levar uma vida saudável, e seguir freneticamente com dietas exercícios mirabolantes em busca de padrões inexistentes.
A pesquisadora Wendy Susuky Neurocientista PHD estuda o efeito de atividades físicas em nosso cérebro.
” Um dos efeitos mais poderosos da atividade física é imediatamente melhorar o humor. O exercício estimula a liberação de neurotransmissores associados ao bom humor- dopamina, serotonina e noradrenalina. Todos esses neurotransmissores aumentam significativamente com a prática de exercícios, isso é o que chamamos de efeito agudo do exercício. Se você mantiver a prática de exercícios regularmente, você irá manter esses efeitos por mais tempo. Essa é a chave para perdurar sua habilidade de manter o foco e sua memória de longo prazo”. Wendy Susuki- Forbes
Outras pesquisas por exemplo tem demonstrado que
Embora haja grande controvérsia, diversos estudos têm demonstrado que o exercício físico melhora e protege a função cerebral, sugerindo que pessoas fisicamente ativas apresentam menor risco de serem acometidas por desordens mentais em relação às sedentárias. Isso mostra que a participação em programas de exercícios físicos exercem benefícios nas esferas física e psicológica e que, provavelmente, indivíduos fisicamente ativos possuem um processamento cognitivo mais rápido. Embora os benefícios cognitivos do estilo de vida fisicamente ativo pareçam estar relacionados ao nível de atividade física regular, ou seja, exercício realizado durante toda a vida, sugerindo uma “reserva cognitiva”, nunca é tarde para se iniciar um programa de exercícios físicos.
Portanto limitar a atividade física a benefícios única e exclusivamente a benefícios estéticos, seria perder uma grande aliada ao resgate do poder que a atividade física tem sobre nossos padrões comportamentais, nosso mind set, nossa capacidade de auto superação e de empoderamento feminino.
Uma mudança no nosso campo físico pode mudar para sempre quem somos.

Arquétipos

Você já ouviu falar em arquétipos?
Arquétipo é um conceito elaborado por Carl Gustav Jung, definido como um conjunto de imagens psíquicas presentes no inconsciente coletivo, que ele define como sendo a parte mais profunda do inconsciente humano. Os arquétipos portanto, são indissociáveis da nossa psique, estão presentes em nosso inconsciente e chegaram até ali através da herança genética que recebemos dos nossos ancestrais, ou ainda, de um grupo étnico ou civilização em que estamos inseridos. Eles não fazem parte das nossas memórias num nível consciente. Eles podem ser compreendidos como um conjunto de informações inconscientes, que exercem grande influência sobre o comportamento e até mesmo sobre as crenças do ser humano.
E de donde vêm os arquétipos? Suas origens são tão antigas quanto a nossa própria existência e estão calcadas em crenças repetidas ao longo de milhares de gerações, eternizadas através da tradição oral, da difusão de histórias construídas ao longo do tempo, que deram origem às mitologias, lendas e contos de fadas. Por que nos identificamos com histórias? Porque elas são construídas a partir de arquétipos que habitam nosso inconsciente. Por mais éticos que sejamos, muitas vezes nos identificamos tanto com o herói quanto com o vilão de uma determinada história: ambos arquétipos fazem parte do nosso imaginário e representam uma expressão autêntica do nosso inconsciente. Talvez isso explique o fato da figura do anti-herói ser tão popular, pois ela reúne o melhor e o pior de cada um deles.
Os aspectos masculino e o feminino são opostos complementares que refletem o princípio da criação. São também conhecidos na cultura indiana como Shiva (masculino) e Shakti (feminino), e no Taoísmo como Yin(feminino) e Yang (masculino).
A interação dessas qualidades masculina e feminina tem influência decisiva para a saúde e felicidade humanas. O projeto Missão Mulher é um programa de exercícios onde conseguimos alinhar nossa energia feminina e masculina, entender a ligação dos arquétipos com o feminino e autoestima.
Para saber maiores informações clique no link Missão Mulher

Você se aceita de verdade?

Nós estamos tão acostumados que ser considerada bonita e sexy tem a ver somente com o tipo de mulher que vemos nas capas de revistas que nos esquecemos que ser sexy e bonita vai muito além disso, nossa sensualidade está muito mais ligada ao nosso comportamento e atitudes , gestos e a postura.
Está completamente ligada muito mais com quem somos do que com quem nos parecemos.
Como você enxerga sua beleza, onde tudo isso influencia em outros aspectos da sua vida?
Estar empoderada passa pela aceitação da imagem que vemos no espelho, passa na conexão de quem eu sou com a imagem que enxergo no espelho, essas duas percepções precisam estar completamente alinhadas de tal maneira que se tornem uma coisa só de modo que uma vez que você procure mudar algo em você, seja físico, seja uma opinião, seja um desejo que tudo isso fique bem claro que essas mudanças são exclusivamente para você e mais ninguém.
Vejo muitas mulheres com o pensamento de que apenas mudando seu físico emagrecendo, automaticamente se sentiram seguras, isso muitas vezes não acontece por que você não está conectada com quem realmente você é. Mas isso quer dizer que então não vale a pena fazer exercícios físicos?
Somente os exercícios com base estética podem te trazer grandes resultados, a mudança no corpo ajuda a mudança do seu mindset, porém o que devemos estar conscientes é que não existe mulher perfeita e todas estamos sujeitas a gostar mais ou menos de alguma parte do nosso corpo e isso não é um problema! Exercício físico é muito mais que uma ferramenta de emagrecimento, é um ato de amor próprio é tirar um dia para cuidar de sí mesma, é cuidar da saúde, para admirar-se . Não somos proibidas de querer mudar algo em nosso corpo mas mudar significa, evoluir criar uma versão melhorada de sí mesma e não se torturar para enquadrar-se no “ padrão de beleza” ideal.
A mudança deve acontecer por se amar e não por odiar quem somos.

Você está realmente motivado?

Segundo Emily Balcetis psicóloga social, mostra em suas pesquisa o quanto as diferentes motivações, emoções ou a maneira como as pessoas veem a vida pode impactar em diversos hábitos incluindo os hábitos relacionados a atividades físicas e o que faz com que as pessoas se sintam mais ou menos motivadas a se exercitar.
Estamos olhando para a mesma coisa, mas vemos algo completamente diferente – isso é percepção subjetiva. Vemos as coisas através dos olhos da mente.
Cientistas mostram que o que podemos ver claramente é apenas o tamanho do nosso dedão com o braço estendido.Nossa mente pode funcionar contra nós, e é por isso que algumas pessoas veem os exercícios como fáceis ou difíceis.
Foi realizada uma pesquisa onde mediram a circunferência da cintura e compararam a circunferência do quadril.
Onde uma proporção maior entre essas medidas era considerado que essas pessoas estariam fora de forma.
A etapa seguinte da pesquisa constituiu em dois grupos sendo que ambos deveriam andar até a linha de chegada carregando peso extra em uma espécie de corrida.
Antes de realizarem essas caminhada esses participantes deveriam estimar a distância até a linha de chegada.- Pessoas fora de forma perceberam a distância como sendo significativamente maior, o estado do corpo de cada pessoa mudou a maneira como ela percebeu o ambiente.
Num segundo raciocínio os pesquisadores acharam que talvez a motivação pudesse reverter esse quadro.
Pessoas motivadas independente de sua forma física viram a distância menor que as pessoas desmotivadas, pessoas comprometidas com seus objetivos podem mudaram a percepção e ver o exercício como mais fácil.
17% das pessoas motivadas acharam mais fácil
23% das pessoas motivadas realizaram o percurso mais rápido.
E você está realmente motivado ou está apenas adiando novos começos?

Beleza, além dos padrões.

” Você está muito magra”,  “‘ Você está muito gorda”, ” Se não fosse esse pneuzinho”,  ” O que estraga são as estrias”, ” Nossa quanta celulite”.
Nós mulheres ao longo do tempo estamos acostumadas a ouvir comentários sobre nossos corpos nem sempre dos mais agradáveis, comentários que são impostos pela ditadura da beleza.
Você sabia que :

  • Sete em cada dez mulheres brasileiras sentem pressão para ser bonita. E 66% delas concordam que existe um padrão de beleza. – Núcleo de pesquisa Puc Rio
  • Segundo o Relatório Global de beleza e confiança da Dove que entrevistou cerca de 5.165 garotas com idades entre 10 e 17 anos em 14 países e também mostra que 52% das meninas brasileiras não têm confiança corporal alta. O número é um pouco menor do que a média mundial (54%).

Afinal o que é ser bonita é seguir os padrões impostos? É amar seu corpo com suas imperfeições?
Existe uma linha muito tênue  entre cuidar-se levar uma vida saudável, e  seguir freneticamente com dietas exercícios mirabolantes em busca de padrões inexistentes.
Aceitar-se, amar-se, não significa não cuidar de sí mesmo. Vejo muitas pessoas indo de um extremo ao outro, cuidam-se ao extremo ou simplesmente deixam seu corpo a “ver navios”.
Corpo e mente não são indissociáveis, ou insolúveis. Seu corpo é a sua casa !
Pessoas que cuidam de sua saúde regularmente, praticam atividades físicas, alimentam-se e dormem direito, geralmente são pessoas que pensam positivamente, estão alegres e não deixam a mente derrubar o corpo. Em algumas situações em que estamos cansados psicologicamente, abatidos, desanimados ou tristes, a escolha pela prática de atividade física, seja ela qual for, associada a uma boa alimentação, ajudará a reverter este quadro.
A pesquisadora  Wendy Susuky Neurocientista PHD estuda o efeito de atividades físicas em nosso cérebro.
” Um dos efeitos mais poderosos da atividade física é imediatamente  melhorar o humor. O exercício estimula a liberação de neurotransmissores associados ao bom humor- dopamina, serotonina e noradrenalina. Todos esses neurotransmissores aumentam significativamente com a prática de exercícios, isso é o que chamamos de efeito agudo do exercício. Se você mantém a prática de exercícios regularmente, você irá manter esses efeitos por mais tempo. Exercícios pela manhã fazem com que seu cérebro trabalhe melhor e mais tempo pelo resto do dia. Essa é a chave para perdurar sua habilidade de manter o foco e sua memória de longo prazo”. Wendy Susuki- Forbes
Portanto meu conselho é : NÃO SIGA PADRÕES DE BELEZA, CUIDE-SE :CUIDAR-SE TAMBÉM É UM ATO DE AMOR PRÓPRIO, NÃO SE COMPARE A OUTRAS PESSOAS- CADA UM TEM SUA HISTÓRIA,  VOCÊ É MAIS QUE UM CORPO, MAS SEU CORPO TAMBÉM FAZ PARTE DE QUEM VOCÊ É!